Agende sua consulta
Contato por WhatsApp

Informações:

(47) 3633 4043

Se você tem acima de 60 anos, nossa matéria da semana é para você!

CBO e Centro da Visão

Se você tem acima de 60 anos, nossa matéria da semana é para você!

O tempo passa, a idade chega e os cuidados com a saúde precisam ser redobrados. Entenda nessa matéria os problemas que podem ocorrer na terceira idade e proteja-se de todos eles!

Com o passar dos anos nos tornamos mais tolerantes, mais sábios, mais cientes de que grande parte das coisas com as quais nos preocupamos diariamente não tem grande importância. Então, este é o momento para aproveitarmos o que há de mais belo na vida, de desfrutar da companhia das pessoas que amamos, apreciar a beleza de um jardim, o sorriso largo de uma criança e relembrar momentos felizes. 

 

Estudos mostram que pelo menos 80% das doenças podem ser evitadas com medidas simples, como não fumar, adotar uma dieta balanceada e praticar atividades físicas regularmente. Infelizmente, existem alguns problemas de saúde que não podem ser evitados com hábitos saudáveis, mas conhecê-los e consultar o médico periodicamente pode fazer toda a diferença! Veja alguns exemplos desses problemas:

 

Presbiopia ou síndrome do braço curto

Muitas pessoas reclamam que a cada ano que passa fica mais difícil realizar tarefas do dia a dia, pois parece que há constantemente uma névoa diante dos olhos. Por volta dos 40 anos, de fato, começamos a perder a capacidade de focar objetos que estão próximos. Este problema é chamado de presbiopia, também conhecida, popularmente, como “vista cansada”. Por conta dele, muitas pessoas acabam precisando usar óculos ou lentes de contato para ler ou realizar outras atividades do cotidiano. O problema é que a presbiopia não é a única causa da perda da qualidade da visão. As imagens turvas e embaçadas podem ser causadas por outros fatores. Entre os mais comuns, está a catarata.

 

Catarata

A catarata é a opacificação da lente natural dos olhos, a qual é chamada de cristalino. Para entender o problema, podemos tentar imaginar um relógio com dois vidros: um externo e outro interno. Quando uma pessoa tem catarata, é como se o “vidro interno” do relógio ficasse embaçado, e fosse necessário substituí-lo por um novo para voltar a ver as horas com nitidez. A catarata, uma das principais causas de cegueira, cria o embaçamento do cristalino (uma lente que fica dentro de nossos olhos, que corresponderia ao “vidro interno” do relógio) aos poucos, podendo levar à cegueira. Felizmente, por meio da cirurgia que substitui o cristalino doente por uma lente artificial, é possível recuperar a visão. A maioria dos casos de catarata acontece como parte do processo de envelhecimento em pessoas com mais de 65 anos. Este tipo é chamado de catarata senil. Além do envelhecimento, a catarata pode ser causada pelo uso incorreto de colírios por conta de lesões ou inflamações. Ainda há outro tipo, chamado de catarata congênita que acomete os bebês desde o nascimento. Entre as causas da catarata congênita estão a rubéola, a sífilis ou a toxoplasmose durante a gestação. 

 

Será que você tem catarata? 

Se a sua visão está embaçada, se as imagens parecem ter cores desbotadas, ou ainda, se ao olhar para a luz você percebe halos claros ao seu redor, é preciso procurar seu oftalmologista.

 

Há algum remédio para a catarata? 

O único tratamento para a catarata é a cirurgia. O procedimento é sofisticado porém bastante seguro e rápido. O paciente, na maioria dos casos, recebe alta algumas horas. Na cirurgia, o médico faz um corte mínimo e por ele retira o cristalino que está doente. Pelo mesmo corte ele introduz uma nova lente, um cristalino artificial.

 

Atualmente existem diversos tipos de lentes intraoculares e para os diversos tipos de problemas, mas somente seu médico oftalmologista poderá avaliar se há necessidade de cirurgia ou o tipo de tratamento.

 

Diabetes 

A diabetes afeta seriamente os olhos, os rins e a circulação do sangue nas pernas e nos pés. Os diabéticos têm maior tendência ao desenvolvimento de diversas complicações, entre elas, a retinopatia diabética. As estatísticas chegam a ser alarmantes: a predisposição dos diabéticos a se tornarem cegos chega a ser 25 vezes maior do que a das pessoas sem a doença. Para evitar as complicações oculares do diabetes é fundamental o acompanhamento da doença por um clínico ou endocrinologista, e também por um oftalmologista. 

 

Sintomas 

A doença pode tornar a visão borrada, provocar o surgimento de moscas volantes (manchas que parecem flutuar dentro dos olhos) e flashes de luz. Esses sintomas surgem no estágio avançado da doença e, por isso, os diabéticos devem ficar sempre atentos à saúde de seus olhos, fazendo o acompanhamento com seu oftalmologista a cada seis meses.

 

Para saber se você tem retinopatia diabética, seu oftalmologista fará o exame de fundo de olho, que analisa a retina com o auxílio de uma lente de aumento especial; e o exame de angiografia fluoresceínica (fotos da retina para avaliar a condição dos vasos sanguíneos que estarão destacados devido ao uso de um contraste).

 

Tratamento 

O controle da retinopatia diabética começa na educação alimentar, que vai melhorar os níveis de açúcar no sangue e reduzir as chances do surgimento de hemorragias e de veias anormais. O tratamento das complicações já causadas à visão pelo diabetes, utiliza aplicações de laser para deter sua evolução dos problemas. O procedimento, conhecido como fotocoagulação a laser, visa melhorar o fluxo sanguíneo da retina, diminuindo as chances de complicações. Em casos mais avançados, pode ser necessária a realização da infusão de medicamentos antiangiogênicos que regridem os vasos anormais, além da vitrectomia, procedimento cirúrgico que remove a hemorragia vítrea e corrige o descolamento da retina. Mais um problema pode atingir as pessoas que alcançam idades mais avançadas: a degeneração macular relacionada à idade, ou DMRI, como normalmente os oftalmologistas chamam esta doença. Degeneração macular relacionada à idade é o problema no qual a mácula (parte central do fundo do olho, responsável pela visão de detalhes) é irremediavelmente afetada em função do envelhecimento. A DMRI é a principal causa de perda da visão central entre os idosos. Ela ocorre porque o tecido da mácula se torna alterado e para de funcionar corretamente.

 

Como saber se tenho DMRI? A degeneração macular se desenvolve de forma diferente em cada pessoa. Por isso, os sintomas podem variar. Entretanto, os mais comuns incluem: 

 

  • Perda gradual da visão de cores claras.

  • Perda gradual da capacidade de ver objetos nitidamente.

  • Aparecimento de uma área escura ou vazia no centro da visão. 

  • Visão distorcida (os objetos parecem ter forma ou tamanho errado, linhas retas parecem onduladas ou tortas); 

 

Como estes sintomas podem também indicar outros problemas de saúde ocular, se você perceber que apresenta algum deles, agende uma consulta com seu oftalmologista imediatamente. 

 

Em um exame oftalmológico completo, o médico irá realizar uma série de testes para determinar se você tem degeneração macular ou outra condição causando seus sintomas.

Se detectada precocemente, a DMRI pode ser tratada com terapia a laser ou com o uso de terapia antiangiogênica, e os danos à visão são limitados. 

 

Infelizmente, a visão central danificada pela degeneração macular não pode ser restaurada, mas como o problema não prejudica a visão lateral, alguns recursos ópticos, tais como lentes de aumento e lupas eletrônicas para visão de perto, podem ajudar a tirar o máximo proveito da visão remanescente. 

 

Nunca esqueça: a detecção precoce dos problemas de visão que ocorrem mais comumente na terceira idade, é muito importante para determinar o tratamento eficaz, e com isso não comprometer a qualidade de vida. Por isso, é muito importante manter uma programação regular de exames com seu oftalmologista.

 

 Ver Bem é Viver Melhor – Centro Especializado da Visão | São Bento do Sul /SC

Diretor Técnico: Dr. Luciano Halal Haddad | CRM – SC 7731 / RQE 2921

 Fones: (47) 3633 4043 – (47) 99601 2616 – (47) 99746 4241.

 


Mais postagens

Já ouviu falar de ambliopia, também chamada de ?olho preguiçoso?? Saiba identificar!

Já ouviu falar de ambliopia, também chamada de ?olho preguiçoso?? Saiba identificar!

Também conhecida como olho preguiçoso, a ambliopia é um problema ocular que atinge de 2 a 3% da população infantil. Mais detalhes no artigo.

Atenção para os cuidados com a visão da menopausa!

Atenção para os cuidados com a visão da menopausa!

A maioria acredita que somente o ginecologista pode cuidar e orientar sobre a menopausa, o que poucos sabem é que ela afeta a visão e pode gerar catarata. Confira os detalhes neste artigo.

Síndrome Visual do Computador, o mal do momento.

Síndrome Visual do Computador, o mal do momento.

Para pessoas as quais precisam concentrar muitas atividades no computador, o descanso dos olhos é essencial. Entenda os danos da Síndrome Visual do Computador.

Mais de 5 mil pessoas no mundo sofrem de Retinose Pigmentar. Apesar de rara, é uma doença séria e precisa de cuidados.

Mais de 5 mil pessoas no mundo sofrem de Retinose Pigmentar. Apesar de rara, é uma doença séria e precisa de cuidados.

Não é tão comum ouvir sobre a Retinose Pigmentar. Mas a doença existe e é séria. Em seu estágio avançado pode levar o paciente à cegueira de forma irreversível. Saiba identificar!