Informações:

(47) 3633 4043

  • Agendamentos
    (47) 99601 2616
  • Cirurgias
    (47) 99746 4241

Dicas & Informações

Hipermetropia na infância

É muito comum bebês e crianças apresentarem algum tipo de erro refrativo, e a hipermetropia é o caso mais constante. Isso porque este tipo de ametropia (erro de refração) pode se manifestar desde a fase de recém-nascido. A hipermetropia é um erro de refração caracterizado pelo modo em que o olho, menor do que o normal foca a imagem atrás da retina. Consequentemente, isso faz com que a visão de longe seja melhor do que a de perto. 
A hipermetropia na infância acontece devido a uma alteração no formato da córnea ou do cristalino que se alonga conforme a evolução do corpo. Porém, durante o processo de crescimento, essa anomalia pode ser convertida para emetropia (visão normal). Por isso, a hipermetropia é mais comum na infância e tende a diminuir na adolescência e em idades subsequentes.
Existem alguns fatores que podem influenciar a incidência de hipermetropia em crianças, como o ambiente, a etnia e, principalmente, a genética. “As formas leves e moderadas, com até 6 dioptrias (grau de refração), são passadas de geração para geração (autossômica dominante). Já a hipermetropia elevada é herdada dos pais (autossômica recessiva)”.
É importante identificar, prematuramente, o comportamento hipermetrope da criança, caso contrário, esse problema pode afetar a rotina visual e funcional delas. “A falta de correção da hipermetropia pode dificultar o processo de aprendizado, e ainda pode reduzir, ou limitar, o desenvolvimento nas atividades da criança. Em alguns casos, pode ser responsável por repetência, evasão escolar e dificuldades na socialização, requerendo ações de identificação e tratamento”. 
Os sintomas relacionados à hipermetropia, além da dificuldade de enxergar de perto, variam entre: dores de cabeça, fadiga ocular e dificuldade de concentração em leitura. A melhor maneira de detectar a hipermetropia é fazendo um exame de refração com a ajuda do autorefrator ou da retinoscopia. O tratamento utilizado para corrigir este tipo de anomalia é realizado através da cirurgia refrativa. Uso de óculos (com lentes esféricas) ou de lentes de contato corretivas é considerado método convencional, que pode solucionar o problema visual do hipermetrope.
FIQUE ATENTO!
Em alguns casos, existem hipermetropias que não afetam a acuidade visual do paciente. No caso de adolescentes, é normal apresentar graus moderados da doença, pois esta condição não desenvolve os sintomas característicos da anomalia. Se a visão do hipermetrope estiver elevada e a acomodação no olho for insuficiente, sintomas como vista embaçada, olho preguiçoso e até mesmo de estrabismo podem acusar hipermetropia. Fadiga visual, acompanhada de dores de cabeça, dores nos intercílios e ardor nos olhos são sintomas característicos devido ao esforço visual excessivo em atividades realizadas com aparelhos eletrônicos como computador, telefone, tablet e televisão.


Como prevenir a alergia ocular

Alergia ocular é a hipersensibilidade dos olhos a determinadas substâncias chamadas alergenos, e
ocorre como uma reação do olho ao entrar em contato com elas.
Existe uma grande variedade de alergenos, dentre eles: poeira, polens, pêlos de animais, medicamentos, etc.
Os principais sintomas são olhos vermelhos e coceira. Pode haver ainda lacrimejamento, fotofobia (sensibilidade a luz), sensação de areia no olho e secreção.
A alergia ocular ocorre com mais freqüência em quem sofre de outros tipos de alergia, como renite, asma e alergia de pele. Existem vários medicamentos (colírios) para o tratamento da alergia ocular. Eles geralmente não têm o objetivo de curar, mas de prevenir, aliviar os sintomas, e tornar as crises alérgicas menos intensas. É importante tentar identificar o alergeno para afastar o contato com ele.
Dicas de como reduzir as crises alérgicas:

  • Manter o ambiente sempre livre de pó.
  • Manter os ambientes arejados e com boa exposição ao sol para evitar formação de bolor.
  • Evitar objetos que acumulem poeira como: cortina, carpete, tapete, bicho de pelúcia, etc.
  • Evitar coçar os olhos, pois isto estimula a alergia ocular, podendo causar um ciclo vicioso.
  • Evite uso de vassoura e espanadores, prefira pano úmido para retirar a poeira.
  • Sempre que possível expor a roupa de cama ao sol e lavar em água quente.
  • Lavar roupas guardadas há muito tempo antes de usá-las.
  • Se possível evitar ter animais domésticos de estimação que soltem pêlos.
  • Evitar manusear objetos com muito pó (livros, documentos antigos).
  • Mantenha o filtro do ar condicionado sempre limpo.

 


Mitos e verdades sobre lentes de contato

Seja por razões estéticas ou por correção visual, os usuários de lentes de contato devem tomar cuidado com relação ao uso e à conservação delas. Por isso, selecionamos as principais dúvidas sobre lentes de contato. Confira!
Lentes de contato são todas iguais?
MITO. Existem diferentes tipos de lentes de contato: rígida, gelatinosa e híbrida. As três possuem materiais diferentes que se adéquam aos esquemas de troca e a necessidade do usuário.
Soro fisiológico é ideal para higienizar as lentes de contato?
MITO. O soro fisiológico é ineficaz para higienização de lentes de contato porque não possui agentes de limpeza adequados para lubrificar e desinfetar o material. O ideal é utilizar apenas produtos específicos para limpar as lentes.
Pode aplicar a maquiagem usando as lentes de contato?
VERDADE. As lentes de contato devem ser colocadas antes de aplicar a maquiagem. Na hora de remover a maquiagem, é preciso tirar as lentes de contato primeiro.
Quem tem astigmatismo não pode usar lentes de contato?
MITO. Atualmente, as lentes de contato podem corrigir qualquer refração visual. Existem lentes de contato, produzidas por uma tecnologia, que se estabilizam da íris do usuário. Adequadas para quem tem astigmatismo.
Deve-se lavar as mãos antes de manusear as lentes de contato?
VERDADE. Antes de manusear as lentes de contato, é preciso lavar as mãos com sabonete neutro para remover a oleosidade e restos de corpos estranhos que possam danificá-las.
O estojo de armazenagem de lentes de contato deve ser higienizado?
VERDADE. O estojo acumula bactérias e por isso é necessário higienizá-lo com um produto específico, ou com o mesmo utilizado nas lentes. A limpeza do estojo deve ser feita uma vez por semana, e o ideal é que a troca do acessório seja feita a cada quatro meses. A utilização de estojos descartáveis também é recomendável.
Lentes de Contato não devem ser utilizadas em viagens de avião?
MITO. Não há problemas em usar lentes de contato em viagens de avião. Porém, se o voo passar de 4 horas de viagem, é recomendável retirar as lentes de contato, pois o ar que circula dentro do avião é muito seco. Com isso, as lentes podem deixar o usuário com sensação de olho seco, causando irritação e ardência nos olhos. Solicite ao oftalmologista um colírio lubrificante para usar sobre as lentes em viagens de avião.
Lentes de Contato podem ser usadas na prática de esportes?
VERDADE. Na prática de esportes, as lentes de contato dão mais segurança e conforto aos usuários, pois não embaçam e nem se deslocam com facilidade. Além de proporcionar o melhor campo de visão periférica durante a prática.
Óculos de grau são melhores que lentes de contato para corrigir a visão?
MITO. Ao contrário dos óculos, as lentes de contato não embaçam e não comprometem o campo de visão periférico do usuário porque são colocadas diretamente sobre os olhos, proporcionando uma visão de qualidade.
Lentes de Contato podem se perder dentro do olho?
MITO. A conjuntiva (parte interior das pálpebras e anterior do olho) é revestida por uma membrana transparente, formando uma dobra que impede o deslocamento da lente de contato por dentro desta região.
Lentes de Contato podem estacionar a miopia?
MITO. A miopia é caracterizada por alterações estruturais no globo ocular. Se o grau de miopia aumentar, será por decorrência do crescimento do olho ou por alterações desenvolvidas no cristalino, como a catarata. O uso de lentes de contato não provoca uma refração míope e nem alterações no olho.
Lentes de Contato podem provocar infecções oculares?
VERDADE. São raros os problemas causados pelo uso de lentes de contato. Na literatura médica, os incidentes relacionados às infecções oculares causadas por lentes de contato são mínimos. Para evitar qualquer tipo de infecção ocular, o usuário deve estar atento às recomendações do oftalmologista com relação ao uso, limpeza e manutenção das lentes de contato.
Os usuários de lentes de contato devem manter um par de óculos reserva?
VERDADE. É aconselhável que os usuários de lentes de contato, principalmente ao que dependem da correção visual, tenham um par de óculos reserva. Casos de aquisição de conjuntivite, por exemplo, fazem com que o usuário substitua as lentes de contato por um par de óculos.
Lentes de Contato coloridas não possuem grau de correção?
MITO. Como qualquer outra lente de contato, as coloridas também possuem grau de correção visual. Para isso, elas precisam ser adaptadas e indicadas pelo oftalmologista.
Crianças e adolescentes não podem usar lentes de contato?
MITO. As lentes de contato podem ser utilizadas em qualquer idade. Porém, cabe ao oftalmologista avaliar a necessidade de uso para o paciente.
Lentes de Contato podem causar desconforto durante a gravidez?
VERDADE. Na gravidez, pode haver um desequilíbrio ocular que altera as composições da lágrima, diminuindo a quantidade de água por um aumento de gordura. Isso pode desencadear, nas grávidas, uma intolerância a lentes de contato, que podem provocar a sensação da crise de olho seco e vista embaçada.


Você possui tremores ou tiques?

Quais são os sintomas de tremores e tiques?
Ás vezes, sua pálpebra simplesmente começa a tremer. Embora os tremores raramente causem desconforto, podem ser irritantes. Mais do que qualquer outra coisa, os tremores fazem com que você se pergunte se há, de fato, algo errado. Geralmente não há.
Qual a causa dos tremores e tiques?
Os tremores das pálpebras são similares aqueles que você sente nos braços ou pernas. Ninguém sabe ao certo qual a causa do problema, mas ele parece estar relacionado à fadiga ou ao estresse. Ocasionalmente, lubrificação insuficiente também pode contribuir para a ocorrência de tremores e tiques.
Como se podem corrigir os tremores e tiques?
Massagear delicadamente a pálpebra afetada pode ajudar o músculo a relaxar, minimizando os tremores. Se você sofre de olho seco, também poderá usar colírios.


Enxaqueca e alimentos

Alguns alimentos devem ser evitados em pacientes que possuem enxaqueca:
Bebidas: fontes de cafeína, chocolate, alcoólicas.
Carne: processadas, enlatadas, defumadas.
Leite e derivados: manteiga, coalhada, achocolatado, queijos.
Cereais: Pães e crackers com queijo ou nozes.
Vegetais: alguns tipos de feijão, vagem, azeitonas, ervilha, couve, picles.
Frutas: Banana d’água, mamão, figo, passa.
Miscelâneas: glutamato monossódico, leveduras, adoçante artificial do tipo aspartame.


Lentes que protegem

Existem hoje no mercado diversos recursos ópticos que ajudam a melhorar a qualidade de visão proporcionada pelas lentes, bem como sua durabilidade e estética. Dentre eles citamos:
Lentes Polarizadas:
Possuem uma fina camada de pequenos cristais que são orientados
de forma a absorver a luz num determinado plano, reduzindo assim o brilho refletido. São extremamente úteis para quem costuma dirigir sob a luz do pôr/nascer do sol e em situações onde haja reflexo da luz (ambientes como piscina, neve, ou áreas espelhadas/envidraçadas) que cause ofuscamento da visão.
Lentes Fotossensíveis:
São tão claras quanto as lentes convencionais em ambientes internos ou à noite, e em ambientes externos ajustam sua tonalidade de acordo com a intensidade da iluminação natural.
Revestimento anti-reflexo:
O objetivo é reduzir o efeito dos reflexos indesejáveis. Proporciona um conforto visual e diminui a fadiga ocular, principalmente na visão noturna e ao usar o computador, além de possuir uma transparência que valoriza o efeito estético.
Revestimento anti-arranhões:
Prolonga a vida útil dos óculos.
A maioria dos tratamentos para as lentes podem ser combinados para garantir lentes de maior qualidade.


Como conservar seu ôculos

1. Lave os seus óculos periodicamente com água corrente e sabão,
principalmente após o uso na praia, piscina ou atividade com
transpiração intensa. Seque-os com pano ou papel absorvente macios, evitando esfregar as lentes. Não use produtos abrasivos para limpeza ou secagem.
2. Guarde-os sempre limpos dentro do estojo quando não
os estiver usando.
3. Nunca apóie os seus óculos com as lentes viradas para baixo.
4. Evite deixá-los em ambientes de temperatura extrema (Ex.:porta luvas de carro).
5. Evite usá-los no topo da cabeça como um acessório
de cabelos ou emprestá-los a outras pessoas para não deformá-los
ou desajustá-los.
6. Leve os seus óculos a um profissional para ajustes e
revisões quando necessário.


Acidentes Oculares Domésticos

Muitos materiais e produtos são responsáveis por acidentes oculares domésticos. Dentre eles, podemos citar os produtos de limpeza, inseticidas, objetos pontiagudos, objetos inflamáveis, plantas domésticas, entre outros.
Estes produtos provocam desde queimaduras até lesões perfurantes graves do globo ocular, devendo, portanto ser evitado o seu manuseio sem os devidos cuidados preventivos. Um cuidado especial é o de se estocar tais produtos longe do alcance de crianças e sempre usar óculos de proteção ao realizar pequenos trabalhos domésticos ou lidar com produtos químicos.


Acidentes Oculares no Trabalho

Os acidentes com os olhos podem acontecer repentina e inesperadamente, e o paciente pode percebê-los imediatamente ou apenas horas mais tarde, quando surgirem, sintomas como irritação, olho vermelho ou sensação de corpo estranho.
As lesões oculares mais encontradas são: corpos estranhos, úlceras traumáticas, queimaduras, contusões e lacerações, e até perfurações do globo ocular.
A falta de proteção eficiente (como os óculos de proteção com lentes de segurança), trajes inadequados, má iluminação e ventilação do ambiente de trabalho e a má disposição ou a manutenção inadequada dos equipamentos, são fatores de risco para estes acidentes.


Muitas horas em frente ao computador?

Para relaxar a musculatura ocular é recomendável que a cada 30 minutos de trabalho o usuário olhe para longe (mais de 6 metros) por uns 5 minutos;
Evitar reflexos luminosos na tela do computador provenientes de janelas ou outras fontes de luz porque causam fadiga ocular;
Colocar a tela do computador 15 cm abaixo da linha dos olhos e inclinada 15° para cima, com isso reduzimos a evaporação das lágrimas;
Lembrar de piscar mais freqüentemente durante o período em que se usa o computador, isso reduz os sintomas de olho seco, vermelhidão e ardência;
Manter o material de leitura próximo da tela do computador para diminuir a amplitude dos movimentos oculares e reduzir a necessidade dos olhos de mudarem o foco da imagem;
O uso de colírios lubrificantes pode ser de grande ajuda em alguns casos, sempre com orientação médica;
Recomenda-se exame oftalmológico anual para usuários de computador.